Dom04232017

Última atualizaçãoSab, 22 Abr 2017 6pm

Polícia

No presídio

Parceiros da reestruturação do Presídio fazem visita às obras

O Presídio de Congonhas passa por melhorias que visam a aprimorarem o atendimento aos reeducandos, que atualmente são 170, suas famílias e servidores da unidade. As obras em andamento no interior da unidade foram viabilizadas por um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre o Ministério Público Federal, com participação do MP Estadual, através do promotor de justiça Dr. Vinícius Alcântara Galvão, e a Ferrous Resources do Brasil. A Paróquia de N. Sra. da Conceição realiza a intermediação dos recursos da ordem de R$ 450 mil.

As benfeitorias externas contaram com a participação Conselho Municipal de Segurança Pública (Consep), que repassou à unidade cerca de R$ 45 mil disponibilizados pelo Poder Judiciário local, através da ação do juiz da Vara de Execuções Criminais, Geraldo Antônio de Freitas. Estes e o Governo Municipal são os principais parceiros da administração do presídio em todo o programa de reestruturação da unidade.


O diretor geral do Presídio de Congonhas, Leonardo Badaró, o adjunto Lima, a engenheira Jordana Paes e o mestre de obras Ivan Lopes receberam, nessa quarta-feira, 8, o prefeito Zelinho, o secretário municipal de Esporte e Lazer, José Lúcio de Castro, o diretor de Meio Ambiente da Ferrous, Cristiano Parreiras, o relações públicas da mineradora, Ricardo Ruffo, a representante da Paróquia de N. Sra. da Conceição, Kelly Simone, e o servidor do Tribunal de Justiça de MG que atua na Vara de Execuções Criminais, Thiago Xavier Drumond, para uma visita às obras estruturais internas e externas na unidade.

De acordo com o prefeito Zelinho, “quem está preso precisa de um mínimo de conforto. Não é porque cometeram algum tipo de crime que devem ficar abandonados. A cadeia não tinha essas condições. Quando fui secretário de Saúde, trouxe um médico e a assistência odontológica para cá. Porque o preso ir algemado para a UPA causa constrangimento primeiro para ele. Sem falar que, com ele, é preciso deslocar veículo e uma equipe. Parabenizo à administração do Presídio por este conjunto de obras e outras ações em favor dos reeducandos, como também os demais parceiros da unidade. O promotor Vinícius Alcântara é sempre atuante em todas as áreas. Fiquei sabendo aqui que o juiz Geraldo Antônio de Freitas comprou do próprio bolso os pisos. Nesses dez anos em Congonhas, a Ferrous tornou-se uma grande parceira, não só na área de segurança, como também na cultura. Juntos é que estamos conseguindo soluções para questões históricas de nossa cidade”.

A área externa do Presídio está recebendo o fechamento com alambrado, guarita, salas de inspeção, de recolhimento de alimento, sanitários para visitantes e sala do agente, além de um galpão para oficinas e produção de artesanato pelos reeducandos. Há ainda projeto futuro da criação do espaço família coberto. No interior do Presídio, foi reformada a cela íntima e seguem em obras a cela feminina, o banheiro de visitantes e a cobertura parcial do pátio de sol, que receberá tela de proteção na parte superior. Estão sendo construídas ainda sala de aula presencial e cursos à distância, além de biblioteca. Iniciada em novembro, toda a obra está prevista para ser concluída em um ano.

A administração do Presídio conseguiu uma economia de mais de 50% do valor da obra com a utilização da mão de obra carcerária com aptidão técnica. Há 24 custodiados trabalhando diretamente nesta construção. “Nossa comissão técnica de classificação analisa os processos de cada um e indica profissionais para atividades específicas. Por exemplo, um pedreiro caso tenha comportamento disciplinar adequado, atua na construção civil e, a cada três dias de trabalho, tem um abatido em sua pena, que é a remissão de pena pelo trabalho”, explica o diretor geral do Presídio de Congonhas, Leonardo Badaró.

A Secretaria de Estado de Administração Prisional (SEAP), antiga Suapi, realiza um trabalho totalmente voltado à ressocialização de todos os reeducandos. “Assumimos a direção geral do Presídio em meados de 2015, ao lado do adjunto Lima, e criamos um programa de obras desmembrado em alguns projetos que visam a revitalização e modernização da unidade, para garantir um melhor atendimento à sociedade, aos servidores lotados na unidade e para a ressocialização dos custodiados. E ainda formamos mão de obra especializada. Na maioria absoluta dos casos, quando deixam a unidade, a família já conseguiu emprego para eles”, conta Leonardo.

Além disso, o Presídio possui uma equipe multidisciplinar com unidade de enfermagem, com um médico e um enfermeiro. Esta equipe dispõe agora de uma mini UTI. A Prefeitura sede um dentista e uma auxiliar de consultório dentário. Há ainda os setores social, jurídico, psicológico, de produção, de segurança, todos para melhorar o tratamento ao reeducando. “Lidamos com seres humanos, e até que se prove o contrário, todos merecem uma oportunidade. O trabalho da SEAP é oferecer oportunidade de estudo, trabalho, reinserção social. Além da remissão por trabalho, haverá outras por leitura, a remissão por estudo, por artesanato, pelo trabalho na horta de verduras, ou seja, por diversos meios”, completa o diretor.

Fonte dos recursos para as atuais obras internas do Presídio através de assinatura de um TAC com o Ministério Público Federal, a Ferrous tem sido parceira do Município direta ou indiretamente. “Desde que veio para Congonhas há dez anos, nossa empresa sempre procurou olhar para a comunidade. Nosso objetivo não é somente conseguir resultados para a empresa e seus funcionários. Através deste TAC, destinamos recursos para o presídio, o que será convertido em qualidade de vida para os detentos, seus familiares e os servidores da unidade. Todo empreendimento causa algum tipo de impacto, porque atrai mais pessoas para o Município. Mas medidas como esta e convênios que mantemos com as polícias Militar e Civil visam a mitiga-lo”, afirma.

Foto & Texto: Secom / Assessoria de Comunicação/ PMC 

Música

Espetáculo emociona

Show inicia comemorações da devoção no Bom Jesus.

A apresentação musical com apenas piano e voz, concisa e em estado puro, com canções muitas delas de domínio público do interior de Minas, como as que são cantadas em festas e outras ocasiões no Vale do Jequetinhonha, e outras de compositores consagrados marcou o início das festividades pelos 260 anos de devoção ao Senhor Bom Jesus de Matosinhos em Congonhas. Centenas de congonhenses e visitantes prestigiaram o evento em uma noite de céu estrelado. O concerto do compositor e pianista Túlio Mourão e da cantora Titane, realizado em frente à Basílica, nessa quarta-feira, 18, foi também o lançamento do álbum “Paixão e Fé”, gravado em novembro na Romaria, e que reúne estas canções em uma ode contemporânea aos profetas de aleijadinho e, ao mesmo tempo, busca voltar os olhos de todos para as castigadas cidades reféns, segundo os dois artistas, do “modo errado de minerar”. Uma vasta programação lembrará durante todo o ano o início da construção do Santuário pelo ermitão Feliciano Mendes em 1757.

O álbum “Paixão e Fé” traduz em forma de música a perplexidade, indignação e inconformismo do povo brasileiro sobre a violência contra comunidades e minorias. O repertório do espetáculo mostrou autores mineiros como Milton Nascimento, algumas vezes em parceria com o próprio Túlio Mourão, Tavinho Moura, Fernando Brant, Chico César e José Miguel Wisnik, algumas delas conhecidas do grande público e outras que eram inéditas para a maioria. De Milton Nascimento e Fernando Brant, “Ponta de Areia” diz respeito à violência contra uma cidade que perdeu os trilhos do trem de ferro quando da construção da estrada rodoviária Minas-Bahia; dos mesmos autores, “Promessas do Sol”, aborda o preconceito da chamada civilização moderna para com os povos indígenas; de Milton e Ruy Gerra, “E Daí”; “Paixão e Fé”, que dá nome ao disco, de Tavinho Moura e Fernando Brant; além de “Anoitecer”, poema de Carlos Drummond de Andrade, que bradava contra a perda das montanhas de Itabira, musicado por José Miguel Wisnik; e músicas do cancioneiro popular como"Danguê", "Folia dos Pretos", "Louvor de Anjo", bem típicas do interior das Minas Gerais.

Titane possui uma relação antiga com o Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, onde se apresentou, nessa quarta. “Este (o conjunto histórico, arquitetônico e artístico de Congonhas) é um patrimônio do Mundo, pra nós todos, portanto agradecemos à população da cidade por ser guardiã disso tudo. Venho aqui desde os 5 anos, me lembro que ficava correndo entre os profetas e não queria sair do meio deles. Tenho uma visão muito iluminada, confortante das horas que passei aqui. Muito depois, aluna do Klauss Vianna (bailarino e coreógrafo brasileiro), ele dava aulas e mais aulas de preparação corporal se remetendo aos profetas do Aleijadinho e à beleza desse bailado. É a visão de um artista que falava para outros de um mundo todo sobre a importância da obra de Aleijadinho e o quanto ele inspirava outras artes, como a dança, a música, não só a escultura. Então estar aqui me deixa gratificada. É um presente para mim e para o Túlio. Estamos aqui com muito amor para apresentar a nossa música”.


Túlio Mourão diz que o disco tem a dupla função de valorizar e proteger os bens artísticos e naturais de Congonhas, como de Minas. “Este projeto é muito especial pra gente e de certa forma ele traz o reconhecimento dos músicos de Minas Gerais, de uma forma muito bonita, à dimensão universal do patrimônio cultural, da arte que Congonhas tem e também nós viemos somar nossas vozes às outras que estão empenhada a defender esse patrimônio, assim como o valioso patrimônio da nossa água, das nossas montanhas, da nossa qualidade de vida, da nossa beleza, enfim, desse ambiente que suporta e é a base dessa e de outras cidades”.

Sobre a motivação que levou dos dois artistas a escolherem Congonhas como tema e local da gravação de um álbum, Titane diz que “ a escolha se deu por vários motivos, sendo que o principal é a existência do Museu de Congonhas, que é capaz de envolver artistas do Brasil todo em torno da Obra de Aleijadinho e outros artistas contemporâneos dele. Este museu tem cumprido um papel muito importante para Minas e o Brasil ao criar e propor vínculos entre outros patrimônios e o de Congonhas.

Além dos profetas, o Museu faz ecoar as artes de Congonhas para o Mundo. Além disso, é sempre necessário pensar o futuro da cidade. E aqui se vê que está começando, através do trabalho de artistas e suas equipes, restauradores, que lidam com arte e ciência, costureiras, quitandeiras, entre tantos outros profissionais, um exercício que culminará com uma solução socioeconômica. As artes e a cultura são uma solução econômica também, sem a necessidade de ser predatória. O turista vem ao Santuário contemplar ‘Aleijadinho’, depois vai ao Museu e a seu teatro ver uma produção atual de músicos, e tudo movimenta recursos e dinheiro. E outro ponto positivo é a forma muito especial, carinhosa, de os congonhenses receberem quem é de fora”.

A turista Joana do Nascimento, de Belo Horizonte, veio a Congonhas especialmente para assistir à apresentação musical. “Acho os dois excelentes. O Túlio é um pianista renomado no Brasil e fora dele e é parceiro do Milton Nascimento e da Maria Betânia. Acho a Titane bárbara. Eu a acompanho há muito tempo. O repertório dessa apresentação foi especial e temático, tratando do próprio local da apresentação, isso é magnífico! O cenário do show e a noite agradável, tudo contribuiu. O momento em que a Titane subiu e ficou do lado de um dos profetas foi o clímax, para mim. Achei interessante também a informação da possível relação do surto de febre amarela no Leste, Zona da Mata e Norte de Minas com o desastre de Mariana”, comemorou a visitante.

Sequência da programação

A Orquestra Jovem de Divinópolis (OJD) tem levado para vários municípios mineiros o projeto “Orquestra para a Comunidade”. O objetivo é viajar pelo estado levando música erudita de graça. O concerto em Congonhas acontece nesta quinta-feira, 19, às 16h, no Museu de Congonhas.

Eventos da cidade que se destacam em Minas e no Brasil, como a Semana Santa, o Festival da Quitanda e o próprio Jubileu – este realizado anualmente entre 7 e 14 de setembro – , também lembrarão o início do cumprimento da promessa de Feliciano Mendes. Curado de grave doença, inicia, em 1757, a construção de uma capela onde coloca um oratório para o recolhimento de donativos destinados àquela obra.

Foto & Texto: Secom/ PMC

Acidente

Motorista fica gravemente ferido

Bombeiros Militares e Agentes da Polícia Rodoviária Federal- PRF atenderam um sinistro registrado na manhã do último domingo (11/12), próximo ao Km 618, na localidade de Gagé, em Conselheiro Lafaiete/ MG. No local, Ronaldo Silva de 37 anos, motorista do Volkswagen/Fusca, foi resgatado das ferragens, com ferimentos graves. O segundo carro envolvido foi um Honda/Cívic emplacado na capital Belo Horizonte, o motorista nada sofreu.

Foto: BMMG - Local e veículos envolvidos/ Agentes da PRF não divulgaram as causas do acidente

Contrabando

Presos com 5mil cigarros

Junto com a mercadoria havia uma arma de brinquedo

Pai e filho moradores da vizinha localidade de Pedra do Sino, foram detidos em flagrante transportando o total de 5 mil maços de cigarros sem nota fiscal. Conforme a Polícia Militar Rodoviária, do estado de São Paulo, eles teriam sido abordados no km 648 da Rodovia Raposo Tavares (SP-270), em Presidente Epitácio, na quinta-feira (5/1).
Conforme relato dos policiais, a dupla estava num Fiat Palio, emplacado na cidade de Carandaí/ MG. No carro, um desempregado de 28 anos, em companhia de um lavrador, de 53. Durante a fiscalização, os agentes localizaram dez caixas de cigarros do contrabandeados do Paraguai.

Durante a fiscalização no interior do veículo foi encontrado o simulacro de uma arma. A dupla (Pai e filho) foi detida e encaminha para Delegacia da Polícia Federal, em Presidente Prudente, local onde foi ratificada a prisão.

Foto: Divulgação/ Internet PMSP - O carro, cigarros, arma de brinquedo e o total de R$ 1.272 ,00 em dinheiro, foi apreendido pelos agentes paulistas.

Capotagem

Chuva forte combina com acidente na Br-040

Veículo somente parou após atingir uma árvore

Polícia Rodoviária Federal – PRF e Bombeiros Militares de Conselheiro Lafaiete/MG registraram na tarde de sábado (10/12), o atendimento a vítima de uma capotagem no KM 638, trevo de acesso para cidade de Casa Grande.

Conforme relato dos bombeiros, o veículo VW/Polo licenciado em Ouro Branco/MG teria perdido o controle, durante a chuva, saído da pista e capotado num abismo com mais de oitenta metros; o carro somente conseguiu parar após atingir uma árvore. O condutor do carro foi atendido pelos militares e sofreu apenas escoriações, sendo encaminhado para o Hospital Maternidade São José onde ficou internado para observações médicas.

Fotos: BMMG

Sub-categorias