Sab04222017

Última atualizaçãoSab, 22 Abr 2017 6pm

Esporte

No ciclismo

CIMTB em Congonhas

Organizadores afirmam que 2016 foi o melhor ano

Congonhas já se acostumou a se transforma durante três dias do ano, quando é montada toda a estrutura para realização da Copa Internacional de Mountain Bike (CIMTB) na cidade. Desta vez, 1.700 atletas participaram das diversas provas e categorias da competição. Mais de 300 profissionais estiveram envolvidos na organização do evento. Milhares de Congonhenses e turistas se divertiram e aqueceram a economia da cidade, principalmente os visitantes que lotaram hotéis e pousadas, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais.

O número de atletas congonhenses escritos passou de 100, batendo o recorde das 13 edições da CIMTB na Cidade dos Profetas. Henrique Avancine, que disputou os Jogos Olímpicos do Rio e sagrou-se tri-campeão da temporada na maratona da Super Elite, mesmo tendo chegado em 2º lugar em Congonhas, e a agora pentacampeã Erika Gramiscelli, que chegou em terceiro de sua categoria no sábado, conquistando seu 7º título. O evento é realizado pela CIMTB e conta com o apoio da Prefeitura, através da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e sua Diretoria de Turismo em parceira com várias outras pastas do Município. Em 2017, a etapa de Congonhas voltará para o meio do ano, entre 18 e 20 de agosto.

“Cada atleta traz, familiares, parentes, amigos para Congonhas. Se em tempos de economia em alta, eventos como este já fomentam a economia da cidade, imagina em meio à crise econômica que assola o País. Por isso que estamos propondo aos organizadores do CIMTB ampliar esta parceria para o ano que vem e oferecermos mais atrativos para turistas e congonhenses em um número maior de dias”, afirma o prefeito Zelinho, que acompanhou a prova do domingo entre os milhares de expectadores na área do Santuário do Senhor Bom Jesus de Matozinhos.
A CIMTB contribui para gerar renda também contratando moradores para que suas casas fossem pontos de apoio dos atletas, com distribuição de água, por exemplo.

Os vencedores das provas - Desafio da Ladeira
Os campeões do Desafio da Ladeira, realizado na noite da sexta, 18, foram Isabella Lacerda, na Elite Feminina, com o tempo de 4min 28 segs, e Antônio Veríssimo, na Masculina, em 3min 25segs. A chuva dobrou a dificuldade na subida da Ladeira Bom Jesus. Aconteceu também a Night Run (corrida a pé noturna). Os vencedores foram os congonhenses Guilherme de Freitas Santiago e Aline Cristina da Silva.

Super Elite
Os mineiros Bruno Martins Lemes, de Passa Quatro e a ourobranquense Letícia Cândido foram os vencedores na prova da Copa Internacional de Mountain Bike, com percurso de 60 km, realizada no sábado, em Congonhas. “A corrida no sábado sem trânsito é melhor pra nós ciclistas. Também gostei das alterações do trajeto, já que o este ano ele foi menos íngreme”, avaliou Bruno, que ultrapassou o Halisson Ferreira no KM 45 e não mais abandonou a ponta. Já Letícia disse que há quatro anos queria vencer em Congonhas. “O Desafio da Ladeira exigiu muito de mim (no dia anterior), ainda mais com aquela chuva, e nem imaginei que no outro dia poderia vencer a prova. O clima da região, o percurso muito técnico e o calor forçaram a maratona”, comemorou, dizendo ainda que “Congonhas se envolve muito com o Mountain Bike, e como vizinha, estou muito feliz com o resultado que alcancei aqui”.

O expectador Felipe Guilherme, da Vila Andreza, aprova todo o esforço que o Município faz para receber anualmente o evento. “A gente percebe que a equipe organizadora é muito profissional. A cidade muda nesses três dias, os vendedores de água e sorvete tiram uma grana boa”, salienta, enfatizando que sua torcida foi conterrâneos Lucas e Guidon na prova do sábado da Sub-30.

Passeio Ciclístico
Apesar de acontecer no mesmo horário da maratona de sábado, o Passeio Ciclístico, realizado pela CIMTB, a Diretoria de Turismo de Congonhas e a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SEL), contou com aproximadamente 70 ciclistas, que percorreram 7 km entre a Rodoviária de Congonhas, passando pelo Binário Santo Antônio, e a Estação Ferroviária. Liliane Márcia Medeiros Andrade, de Congonhas, foi a ganhadora da bicicleta sorteada pelos organizadores. O pequeno João Pedro, de 2 anos, participou acompanhado da mãe Roberta Epifânio.

Copa de Amadores
Cerca de 1200 atletas participaram da categoria Amador da Copa Internacional de Mountain Bike neste domingo. Por volta das 9h30, foi dada a largada no Santuário do Senhor Bom Jesus de Matozinhos e na Alameda das Palmeiras. Os ciclistas percorreram 41 km, sendo que os primeiros gastaram pouco mais de 2h para retornarem à Basílica. A premiação aconteceu na Romaria, juntos dos stands e a praça de alimentação.

Concurso de Redação e Desenho
Antelmo Diniz e Ana Elisa Firmino Clementino foram os vitoriosos do 7º Concurso de Poema e Desenho da Copa Internacional de Mountain Bike. O concurso com o tema “Eu e minha bicicleta” é realizado pela Secretaria Municipal de Educação, em parceria com os organizadores do evento mais esperado por ciclistas amadores, profissionais e amantes de bicicletas.

O vencedor na categoria Desenho foi Antelmo Diniz, de 8 anos. Ele é aluno da professora Flávia Rezende Vieira e estuda na Escola Municipal Amynthas Jacques de Moraes, no bairro Lobo Leite. Já Ana Elisa Firmino Clementino, aluna da Escola Municipal João Olyntho Ferraz na turma da professora Jeane Mendonça Ribeiro, ficou em primeiro lugar na categoria Poema. Cada um dos vencedores levou para a casa uma bicicleta novinha.
O concurso foi realizado entre os alunos do 3º e 5º anos do Ensino Fundamental da rede municipal de ensino em 21 escolas, nas categorias desenho e poema, respectivamente. O objetivo da competição é estimular a reflexão sobre o uso da bicicleta e sua importância para uma vida mais equilibrada e sustentável.

Segurança
A Polícia Militar, a Guarda Municipal, a Diretoria de Trânsito, seguranças contratados, 30 motociclistas que fizeram o balizamento durante as provas, além da participação de jeeps e ambulâncias, além dos escoteiros de Congonhas e Carandaí contribuíram para a segurança dos competidores, do público, de outros pedestres e motoristas. Segundo os organizadores, outra medida importante foi a divisão da corrida, com várias categorias, entre elas as dos profissionais, sendo disputadas no sábado. “Não houve acidente sério. Os profissionais se viram com a perícia que possuem. Já os amadores ganharam mais espaço no domingo. Alguns casos de problema respiratório foram encaminhados à UPA 24h. Na chegada, quem estava com estafa acabou atendido pelo posto médico instalado no alto da Alameda”, explica Rogério Bernardes, organizador da CIMTB.

Investimento na infraestrutura da cidade foi o ponto positivo de 2016, segundo organização e ciclistas.
Para Rogério Bernardes este foi o melhor dos 13 eventos realizados em Congonhas pela CIMTB. “Os empresários que trouxemos pela primeira vez ficaram encantados com o envolvimento da cidade com a Copa. E um de nossos objetivos é sim envolver a cidade e contribuir para fomentar a economia local. Mas Congonhas também tem oferecido a cada ano mais infraestrutura para grandes eventos.

Este ano pudemos contar com a recém inaugurada UPA-24h. O Museu é outro ponto positivo. Os atletas, até aqueles que conheciam a cidade, ficaram impressionados com a beleza do Museu de Congonhas (inaugurado em dezembro de 2015) e animados com a obra dessa praça (Alameda das Palmeiras), que mesmo antes de ficar pronta já facilitou a largada. Também ficamos sabendo da construção do hotel, na Praia, com 400 apartamentos. Este então é tudo o que precisamos, para que nossos competidores possam chegar com a antecedência devida e para que mais turistas, inclusive de BH possam vir pra cá e ficar os três ou mais dias”, enfatiza.

Grande Ponto de Apoio
A Romaria recebeu a praça de alimentação da CIMTB, onde foram instalados os stands que vendiam bicicletas com valores superiores a R$ 40 mil e equipamentos; o palco de premiação; o QG da organização; e a praça de alimentação que ofereceu a atletas, turistas e congonhenses pizza na pedra e outras massas, cachorro-quente gigante e bebidas.

Lúcia de Fátima H. Belo Santos, do Cristo Rei, comercializou água de coco e outras bebidas em parceria com um restaurante da cidade que serviu massa na praça de alimentação. “Vendi uns 200 cocos em dois dias. Ainda ganhei 10% sobre outras bebidas do restaurante que eu também vendi. Eu gosto de eventos como este aqui. É a oportunidade de ganharmos nosso dinheiro, se não como é que fica? A Prefeitura faz muito bem em fazer diversos eventos durante o ano”, disse sorrindo a ambulante, que é associada da Uniarte.

Doação de sistema de monitoramento
A Romaria e o Santuário do Senhor Bom Jesus de Matozinhos receberam dos organizadores, em contrapartida à utilização dos dois espaços para a realização da etapa de Congonhas da CIMTB, câmeras e as centrais de monitoramento utilizadas pela organização durante o evento.

Foto/ Fonte : Secom – PMC