Qua05242017

Última atualizaçãoQua, 24 Mai 2017 6pm

Cultura

Bom Jesus

Novas restaurações no Santuário em Congonhas 

Governo Municipal da cidade dos profetas consegue verba

A Fundação Municipal de Cultura, Lazer e Turismo de Congonhas (FUMCULT), conseguiu formalizar uma parceria com o Ministério Público Federal para destinação de uma verba no valor de R$ 1 milhão para obras de conservação do Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos. Este valor é referente a uma medida compensatória que será cumprida pela empresa Anglogold Ashanti Corrego do Sítio Mineração S/A, sediada em Nova Lima. Esta ação integra a programação do Circuito Cultural dos Museus de Congonhas.

Segundo o documento emitido pelo Ministério Público Federal, este recurso será aplicado no custeio do projeto de intervenções e execução da obra de restauração do telhado da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos e no projeto de intervenção e execução de serviços de desinfestação e imunização das 64 esculturas de madeira que compõem as cenas dos Passos da Paixão de Cristo (Ceia do Horto, Prisão, Flagelação e Coroação de Espinhos, Subida ao Calvário, Crucificação), dispostas nas seis capelas do Santuário.

De acordo com o presidente da FUMCULT, Sérgio Rodrigo Reis, ao final destes trabalhos, caso haja dinheiro restante, ficou acordado que este será utilizado para a restauração dos Santos (elementos artísticos móveis) da Basílica. Todo este processo será acompanhado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A Fumcult realizará processo licitatório que apontará a empresa que executará estas obras. Segundo o documento, será dada prioridade à recuperação do telhado da Basílica. O documento que garante este importante investimento no Santuário de Congonhas, considerado pela UNESCO como "Patrimônio Cultural Mundial", foi assinado pela Procuradora da República, Dra. Miriam R. Moreira Lima, o diretor de Sustentabilidade da AngloGold Ashanti, José Margalith, e os advogados da empresa mineradora, o prefeito de Congonhas, José de Freitas Cordeiro (Zelinho), o presidente da FUMCULT, Sérgio Rodrigo Reis, pela advogada da Fundação, Maria Ap. Coelho da Cunha, além do Procurador Municipal de Congonhas, Juliano Resende da Cunha.

Obras em curso no Santuário

Atualmente, os elementos artísticos integrados da Basílica passam por restauro, graças a um trabalho de planejamento, execução e fiscalização da Prefeitura e recursos do PAC Cidades Históricas, do Ministério da Cultura. Outra das dez obras selecionadas pelo Iphan para Congonhas por meio deste programa é a estabilização do Adro da Basílica, cujo projeto começará a ser elaborado em breve, com apoio do Governo Municipal.

Foto&Texto: Por por Secom / PMC - Divulgação