Qua05242017

Última atualizaçãoQua, 24 Mai 2017 6pm

Cultura

Imperdível

Festival da Quitanda

Um grande momento na cidade dos Profetas. 

Durante o Festival, um cenário feito especialmente para o evento, transforma a Romaria e traz lembranças que remetem à vida no campo e aos antigos armazéns. Neste clima, 48 stands comandados por quitandeiras de Congonhas e de outras 18 cidades da região comercializarão variadas quitandas tradicionais da culinária mineira. As grandes estrelas da festa são o chá de congonha e o cubu que são oferecidos gratuitamente aos visitantes durante o evento. Artesãos de Congonhas também terão um espaço reservado para expor e vender seus trabalhos.

Outro destaque são as atrações musicais que farão a trilha sonora do festival. Haverá apresentação de grupos de Congado, da Corporação Musical Senhor Bom Jesus, Mayara Rodrigues, Grupo Viola Inviolada, Miltinho Edibeto e banda e Cleiber Tarcísio.

“Há 17 anos resgatamos a cultura das quitandas de Minas neste festival. Quitandeiras de Congonhas e região se reúnem aqui para repassar a tradição, expor e vender o que fazem de melhor. O Festival da Quitanda já faz parte da tradição da nossa cidade e a cada ano atrai mais visitantes. Além disso, temos a noite de Caldos de Violas que antecede a festa e oferece deliciosos caldos e música sertaneja de qualidade na Romaria. Gostaria de agradecer o apoio da CSN Mineração que este ano está patrocinando o evento e também agradecer o empenho da equipe da Secretaria de Cultura na realização da festa. Todos estão convidados para o nosso Festival da Quitanda!”, disse o prefeito Zelinho de Freitas.

Para Luiz Paulo Barreto, diretor Corporativo da CSN, a empresa se orgulha de estar ao lado da cidade de Congonhas em um dos seus eventos mais tradicionais e de maior demonstração de sua cultura. “Congonhas tem a mineração e a arte em sua História, mas que também se fez marcar pela gastronomia”, afirma.
Festival da Quitanda

Concurso
O Festival realiza um concurso de quitandas que premia as seguintes categorias: Quitanda “Prata da Casa” (melhor quitanda de Congonhas), “Quitanda Regional” (melhor quitanda dentre as demais cidades participantes), Quitanda “Comércio Especializado” (melhor quitanda dentre as padarias, confeitarias e supermercados participantes) e “Melhor Stand” (melhor ornamentação da barraca). Para selecionar os ganhadores, 30 jurados especializados entre chefes de cozinha, professores de gastronomia, donos de restaurantes e designers participam do evento.

Todo ano também é confeccionado o Caderno de Receitas do Festival da Quitanda, com as iguarias concorrentes de Congonhas. O caderno é distribuído durante a festa.

Quem for passar o dia no evento tem a opção de almoçar na própria Romaria, já que será montado no local um restaurante que, além de oferecer conforto aos visitantes, cumpre a função social de ajudar entidades filantrópicas que são as responsáveis pela atividade.

A secretária municipal de Cultura, Mirian Palhares, reforça a importância do Festival. “Esta é uma festa para toda a família. Pessoas de todas as idades se divertem. Assim como as receitas das quitandas mineiras passam de geração para geração, o mesmo ocorre com a tradição de participar deste evento. Nosso festival tem relevância nacional e está mais um ano inserido nas comemorações do aniversário do Mercado Central em Belo Horizonte. Todos estão convidados”, diz.

Foto: SECOM/ PMCL -  Acompanhe a programação 

Villas e Fazendas

 34º Congresso Mineiro de Municípios 

Nos dias 9, 10 e 11 de maio foi sediado em Belo Horizonte no Expominas o 34º Congresso Mineiro de Municípios, onde o Circuito Villas e Fazendas de Minas participou junto ao stand da Amalpa, com produtos produzidos nos municípios associados.

Dentre os produtos expostos, haviam peças de artesanato produzidas com Capim Vetiver de Santana dos Montes, os móveis feitos em madeira de Cristiano Otoni, colchas e tapetes de Conselheiro Lafaiete e as cachaças de Itaverava e Rio Espera.

Foi uma ótima oportunidade para divulgar o Circuito Villas e Fazendas de Minas e seus roteiros, uma troca de ideias e experiências com pessoas de vários municípios de Minas Gerais e também com outros Circuitos. O Hotel Carumbé de Conselheiro Lafaiete também foi parceiro no evento.

Foto e Texto: Circuito Villas e Fazendas de Minas /  Patrícia Roque

Marca

Uma nova identidade visual 

Aleijadinho e cores de Congonhas inspiram um novo projeto. 

Congonhas lançou, nessa terça-feira, 21, uma nova identidade visual, mais moderna, inovadora e inspirada no seu maior patrimônio: o Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, considerado pela UNESCO como “Patrimônio Cultural Mundial”. Os principais elementos que a inspiram são a caligrafia de Aleijadinho e as cores presentes no conjunto histórico e na paisagem natural do município.

A ideia é que esta marca transcenda a Administração Municipal e que possa ser utilizada por toda a cidade, seja pelo comércio, empresas e entidades, reforçando no congonhense o sentimento de pertencimento a esta terra e a este povo, de preservação de sua história e de valorização do que há de diferente, que é o resultado da genialidade do Mestre do Barroco.

O secretário municipal de Comunicação e Eventos e diretor-presidente da Fumcult, Sérgio Rodrigo Reis, explica como foi elaborada esta nova identidade visual. “Precisávamos de uma marca que pudesse trazer todo esse benefício, esse orgulho pra gente e colocar a cidade no nível que ela realmente tem. A obra de Aleijadinho é o que torna Congonhas diferente. Resolvemos contratar o designer Luis Sardá, que já havia desenvolvido um projeto tão expressivo para o Museu de Congonhas e participado da elaboração da sinalização interpretativa e turística da UNESCO também no Município, para preparar este novo trabalho. Definimos também por estabelecer esse diálogo com a marca que Sardá havia criado para o Museu, igualmente retirada da caligrafia do Aleijadinho. Buscamos em documentos uma assinatura que identificasse Congonhas”.

Marca
O prefeito Zelinho lembrou no evento de lançamento do projeto como surgiu a cor principal da nova marca de Congonhas: “Ainda em 2012, eu estava voltando do Alto Maranhão, havia um pôr–do-sol maravilhoso, muito forte, típico desta época. Aquele dia me inspirou. O laranja é a cor que ilumina Congonhas. Esta marca é muito importante. Agradeço a todos pelo trabalho desenvolvido”.

Luis Sardá afirma que as demais cores da paleta do logotipo de Congonhas têm como base aquelas usadas por Aleijadinho e outros artistas no Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, que são típicas do Barroco Mineiro, com tons quentes e que também lembram o entardecer da cidade. “Assim criei aplicações com a logomarca para identificar as diversas Secretarias Municipais, material gráfico, campanhas de divulgação, uniformes, veículos, mobiliário urbano e sugestões de brindes.

As identidades visuais de Congonhas e do Museu conversam entre si. A caligrafia de Aleijadinho e a paleta de cores da exposição permanente do Museu estão presentes nesta mesma ideia, criando um diálogo entre a cidade e o sítio histórico. Meu desejo é que a imagem criada possa servir para valorização da cidade e de seu patrimônio, que é patrimônio de toda a humanidade”, afirma Sardá.
Presente ao teatro de arena do Museu de Congonhas, nesta terça-feira, Luciano Aparecido Francisco, morador do bairro Nova Cidade, achou “a ideia da marca foi muito boa, porque associou a caligrafia deste imenso artista, que é Aleijadinho, com a cidade. Tem muita gente que acha ainda que a obra-prima dele fica em Ouro Preto ou em São João Del-Rei. Essa agora é a marca do desenvolvimento de Congonhas”.

A moradora Lily Ribeiro, do Grand Park, também aprovou este novo selo de Congonhas, assim como o plano de metas estabelecido para 2017, que foram apresentados ao público presente. Ela também aprovou a cobertura da Educativa FM (97.5 Mhz), flashes da Rádio Congonhas (1020 Khz) e da live da página da Prefeitura de Congonhas no Facebook. ”Parabéns pela criação da nova marca. Identidade única, criação de valor para a cidade, engrandecimento da cultura e valorização da nossa história. Quem acompanha o trabalho do Governo Municipal sabe o quanto nosso Município ganhou e continua evoluindo em sua gestão. Parabéns”.

Plano de metas
O prefeito Zelinho e o vice, Arnaldo Osório, aproveitaram a ocasião do lançamento da marca da cidade para lançarem as metas a serem atingidas pela Administração Municipal este ano. São elas:
- Fase Dois da Avenida Contorno Norte
- Ligação da rua Mariana com a av. Bias Fortes através da av. Santa Cruz.
- Recapeamento e infraestrutura de vias urbanas, recuperação de asfalto, drenagem e captação de água das chuvas, operação tapa-buraco e extensão de rede elétrica.
- Abertura de uma nova rua de ligação da avenida Noêmia Ferreira Lobo com o bairro Pascoal Vartuli.
- Construção de 18 salas de aula na área da Escola Municipal Michael Pereira de Souza para abrigar a E. M. Fortunata de Freitas Junqueira, enquanto seja construído o novo prédio desta instituição de ensino (posteriormente estas 18 salas abrigarão os alunos da E. M. Lucas Monteiro).
- Elaboração de projeto para adequação do antigo prédio do Seminário, onde funciona atualmente a escola Fortunata, para criação da Escola de Artes (Música, Teatro e Dança).
- Construção de 500 unidades habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida.
- Abertura da foz do rio Santo Antônio no encontro com o rio Maranhão.
- Elaboração dos projetos para construção do Centro de Referência em Saúde (Clínica da Criança, Clínica da Mulher e Fisioterapia).

- Captação de recursos no BNDES para restauração do Cine Teatro Leon e produção das outras réplicas dos profetas para a galeria do Museu de Congonhas.
- PAC Cidades Históricas: restauração da Romaria, do Museu da Imagem e Memória e do antigo prédio da Câmara Municipal para instalação da Biblioteca Municipal (projetos já aprovados pelo Iphan/MinC).
- Requalificação das praças Portugal e Dom Helvécio e da rua Benedito Quintino até a praça João Nogueira (praça do Ideal).
- Finalização dos passeios da av. Marechal Floriano Peixoto, do Quarteirão Açominas até o prédio da Câmara Municipal, e da av. JK, do Posto Turista até a Prefeitura.
- Complementação da praça do Alto do Cruzeiro – segunda etapa.
- Implantação do Parque Linear do Campinho.
- Implantação da praça de convivência dos bairros Tancredo Neves e Jardim Vila Andreza.
- Implantação de nova infraestrutura esportiva: iluminação do campo de futebol do Joaquim Murtinho e finalização da obra do campo de futebol de Santa Quitéria (iluminação e conclusão do vestiário).
- Intervenção no Santuário do Bom Jesus de Matozinhos com reforma do telhado da Basílica, estabilização do piso do adro dos profetas, imunização e conservação das imagens das capelas dos passos e revitalização do Jardim dos Passos.
- Construção da praça de eventos.
- Construção do prédio para implantação de dez leitos de CTI no Hospital Bom Jesus.
- Contratação de empresas para manutenção e proteção do patrimônio público (vigilância), tais como praças, jardins e prédios públicos.
- Implantação de rede de Wi-Fi em vários espaços públicos de convivência.
- Revisão do Plano Diretor: emissão de títulos de propriedade dos imóveis – regularização fundiária.

Homenagem
O Governo Municipal aproveitou a ocasião para homenagear os servidores da Prefeitura, que são no entendimento do prefeito Zelinho e do vice, Arnaldo, determinantes para o sucesso da Administração Municipal até agora. Um servidor de cada Secretaria recebeu uma homenagem em nome dos demais colegas de trabalho. Estes representantes usaram a camiseta estampando a nova marca, mas cada uma com a cor definida para sua Secretaria.

Servidora efetiva da Secretaria de Planejamento há 22 anos, Edilene Maria Marcossi diz que representar os colegas foi um orgulho. “Além do mais, o Município se desenvolveu muito nos últimos anos. Há agora a perspectiva de novas obras e ações, como anunciou o prefeito, apesar da crise econômica brasileira”. Sobre a nova identidade visual da cidade, Edilene afirmou que “a nova logomarca é linda, valoriza ainda mais a obra de Aleijadinho, da mesma forma que este elevou Congonhas a um patamar altíssimo”.

Já Jorge Roque Souza, ou Jorginho, é servidor há 36 anos, também efetivo, se disse feliz por mais uma vez ser homenageado e representar os companheiros da Secretaria de Administração em um evento da Prefeitura. “Isso me incentiva a cumprir ainda melhor minhas obrigações e me tornar exemplo para os mais novos”, garante. Jorginho afirma ainda que “o Aleijadinho direcionou Congonhas para os caminhos da cultura e do turismo. Levar a caligrafia dele no peito é uma honra”.

Aleijadinho e cores de Congonhas inspiram nova identidade visual da “Cidade dos Profetas”

Congonhas lançou, nessa terça-feira, 21, uma nova identidade visual, mais moderna, inovadora e inspirada no seu maior patrimônio: o Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, considerado pela UNESCO como “Patrimônio Cultural Mundial”. Os principais elementos que a inspiram são a caligrafia de Aleijadinho e as cores presentes no conjunto histórico e na paisagem natural do município.

A ideia é que esta marca transcenda a Administração Municipal e que possa ser utilizada por toda a cidade, seja pelo comércio, empresas e entidades, reforçando no congonhense o sentimento de pertencimento a esta terra e a este povo, de preservação de sua história e de valorização do que há de diferente, que é o resultado da genialidade do Mestre do Barroco.

O secretário municipal de Comunicação e Eventos e diretor-presidente da Fumcult, Sérgio Rodrigo Reis, explica como foi elaborada esta nova identidade visual. “Precisávamos de uma marca que pudesse trazer todo esse benefício, esse orgulho pra gente e colocar a cidade no nível que ela realmente tem. A obra de Aleijadinho é o que torna Congonhas diferente. Resolvemos contratar o designer Luis Sardá, que já havia desenvolvido um projeto tão expressivo para o Museu de Congonhas e participado da elaboração da sinalização interpretativa e turística da UNESCO também no Município, para preparar este novo trabalho. Definimos também por estabelecer esse diálogo com a marca que Sardá havia criado para o Museu, igualmente retirada da caligrafia do Aleijadinho. Buscamos em documentos uma assinatura que identificasse Congonhas”.

O prefeito Zelinho lembrou no evento de lançamento do projeto como surgiu a cor principal da nova marca de Congonhas: “Ainda em 2012, eu estava voltando do Alto Maranhão, havia um pôr–do-sol maravilhoso, muito forte, típico desta época. Aquele dia me inspirou. O laranja é a cor que ilumina Congonhas. Esta marca é muito importante. Agradeço a todos pelo trabalho desenvolvido”.

Luis Sardá afirma que as demais cores da paleta do logotipo de Congonhas têm como base aquelas usadas por Aleijadinho e outros artistas no Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, que são típicas do Barroco Mineiro, com tons quentes e que também lembram o entardecer da cidade. “Assim criei aplicações com a logomarca para identificar as diversas Secretarias Municipais, material gráfico, campanhas de divulgação, uniformes, veículos, mobiliário urbano e sugestões de brindes. As identidades visuais de Congonhas e do Museu conversam entre si. A caligrafia de Aleijadinho e a paleta de cores da exposição permanente do Museu estão presentes nesta mesma ideia, criando um diálogo entre a cidade e o sítio histórico. Meu desejo é que a imagem criada possa servir para valorização da cidade e de seu patrimônio, que é patrimônio de toda a humanidade”, afirma Sardá.

Presente ao teatro de arena do Museu de Congonhas, nesta terça-feira, Luciano Aparecido Francisco, morador do bairro Nova Cidade, achou “a ideia da marca foi muito boa, porque associou a caligrafia deste imenso artista, que é Aleijadinho, com a cidade. Tem muita gente que acha ainda que a obra-prima dele fica em Ouro Preto ou em São João Del-Rei. Essa agora é a marca do desenvolvimento de Congonhas”.

Foto & Texto : Secom - PMC / Teatro de arena do Museu de Congonhas

“OuroBier”

Evento acontece entre os dias 15 e 16 de abril

Primeiro Festival de Cervejas Artesanais de Ouro Preto

A vizinha cidade de Ouro Preto/MG recebe a primeira edição do “OuroBier”, o evento já promete se tornar em um dos mais disputados eventos cervejeiros do Estado.

A realização do festival tem como foco principal, a cerveja, mas as atrações incluem boa música, exposição de moda, palestras sobre o mercado cervejeiro e uma grande praça de alimentação.

O festival vai oferecer mais de 100 rótulos de grandes lojas e cervejarias como: Verace, Falke Bier, Brüder, Lamas Brew Shop, Krug Bier, Cervejaria Loba, Dunk Bier, Prússia Bier, Aleluia Bier, Mantrap, Furst, Casa Olec e Backer. A expectativa de público é de 20 mil pessoas.

Segundo Júlio Füzessi, realizador do evento, “Ouro Preto é uma das mais importantes cidades históricas do Brasil, porque mostra a força cultural de Minas. Explorar a qualidade dos nossos produtos para o mundo em um cenário único e original é o nosso foco. Estamos na expectativa por ser o primeiro ano, mas será um grande evento com certeza”.

OuroBier – Festival de Cervejas Artesanais de Ouro Preto
Data: 15 e 16 de abril – sábado e domingo
Local: Centro de Artes e Convenções da UFOP – Ouro Preto
Horários: Sábado das 10h às 4h da madrugada de domingo – Domingo das 10h às 20h
Venda de ingressos pelo site: www.ourobierfest.com.br
https://www.facebook.com/Ourobier-1856852751258649/
Mais informações: (31) 3551-2582 ou 98884-3416.

Foto: Divulgação Arte Final - “OuroBier” / O encontro promete marcar a cidade e se tornar parte do calendário anual

Iepha-MG

7ª Rodada Regional do Patrimônio Cultural

Secretário de Estado de Cultura de Minas Gerais participará do evento em Santana dos Montes.

O Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG) realiza, entre março e junho de 2017, em parceria com os municípios, a Rodada Regional do Patrimônio Cultural. Além do ICMS Cultural, encontros vão tratar de assuntos ligados ao patrimônio imaterial e proteção de núcleos históricos

Pela sétima vez o Instituto percorre os territórios regionais de desenvolvimento de Minas Gerais com o objetivo de reunir gestores públicos municipais para um amplo debate sobre preservação, proteção, salvaguarda e promoção do patrimônio cultural do estado.

Quatorze cidades mineiras recebem a 7ª Rodada Regional do Patrimônio Cultural: Santana dos Montes (Vertentes), Januária (Norte), Pompéu (Central), Coronel Fabriciano (Vale do aço), Belo Horizonte (Metropolitana), João Pinheiro (Noroeste), Cataguases (Mata), Perdões (Sul), Teófilo Otoni (Mucuri), Araçuaí (Jequitinhonha), Grão Mogol (Norte), Uberaba e Patrocínio (Triângulo) e Serro (Jequitinhonha). Com os encontros, o Iepha percorre 13 dos 17 territórios de desenvolvimento do estado.

A novidade para este ano é que, além do ICMS Cultural, outros temas serão abordados durante os encontros, como por exemplo, o projeto “Violas: o fazer e o tocar em Minas”, que consiste na realização de estudos para o reconhecimento das violas como patrimônio cultural de natureza imaterial do estado e a proteção de núcleos históricos.

“Pretendemos levar aos novos agentes municipais informações que possam contribuir para uma gestão cada vez mais eficiente das riquezas culturais em Minas e que fazem parte da história dos mineiros”, disse a presidente do Iepha-MG, Michele Arroyo, que estará presente em Santana dos Montes, região das Vertentes, nos dias 7 e 8 de março, onde ocorre o primeiro encontro de 2017.

Durante os dois dias, a presidente visitará locais históricos da cidade, como as fazendas Fonte Limpa e da Posse, ambas protegidas por tombamento pelo Estado, entre outros bens culturais. A programação inclui ainda visitas às igrejas de Santo Antônio de Itaverava, Santo Antônio e Matriz de Santana, além da realização de um encontro com Chico Lobo, Pedro Araújo e violeiros da região.

Na oportunidade, Angelo Oswaldo, secretário de Estado de Cultura de Minas Gerais também participa do evento em Santana dos Montes, e ressalta a importância da presença do Iepha nos territórios regionais de desenvolvimento. “A preservação do patrimônio resulta, por meio desse mecanismo, em grande benefício para as cidades mineiras. O ICMS Cultural fortalece o orçamento do município, assegurando-lhe investimentos financeiros em realizações significativas para as comunidades. Proteger o patrimônio é, assim, garantir mais verba pública, além de organizar o espaço urbano e proteger a memória e identidade dos cidadãos”, falou o secretário. Em 2016, a equipe do Iepha-MG esteve em seis cidades e reuniu cerca de 600 gestores de 300 municípios.

ICMS Patrimônio Cultural

As visitas do Iepha-MG aos municípios, pretende reunir agentes públicos de todas as regiões do estado para prestar esclarecimentos sobre a Deliberação Normativa referente ao ICMS Patrimônio e discutir políticas de preservação e salvaguarda do patrimônio cultural. Técnicos do Instituto que atuam nas diretorias de proteção, conservação e promoção fazem parte da equipe que viajará pelas regiões mineiras.

Foto: Divulgação / Na oportunidade, Angelo Oswaldo, secretário de Estado de Cultura de Minas Gerais participará do evento na cidade de Santana dos Montes

Bom Jesus

Novas restaurações no Santuário em Congonhas 

Governo Municipal da cidade dos profetas consegue verba

A Fundação Municipal de Cultura, Lazer e Turismo de Congonhas (FUMCULT), conseguiu formalizar uma parceria com o Ministério Público Federal para destinação de uma verba no valor de R$ 1 milhão para obras de conservação do Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos. Este valor é referente a uma medida compensatória que será cumprida pela empresa Anglogold Ashanti Corrego do Sítio Mineração S/A, sediada em Nova Lima. Esta ação integra a programação do Circuito Cultural dos Museus de Congonhas.

Segundo o documento emitido pelo Ministério Público Federal, este recurso será aplicado no custeio do projeto de intervenções e execução da obra de restauração do telhado da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos e no projeto de intervenção e execução de serviços de desinfestação e imunização das 64 esculturas de madeira que compõem as cenas dos Passos da Paixão de Cristo (Ceia do Horto, Prisão, Flagelação e Coroação de Espinhos, Subida ao Calvário, Crucificação), dispostas nas seis capelas do Santuário.

De acordo com o presidente da FUMCULT, Sérgio Rodrigo Reis, ao final destes trabalhos, caso haja dinheiro restante, ficou acordado que este será utilizado para a restauração dos Santos (elementos artísticos móveis) da Basílica. Todo este processo será acompanhado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A Fumcult realizará processo licitatório que apontará a empresa que executará estas obras. Segundo o documento, será dada prioridade à recuperação do telhado da Basílica. O documento que garante este importante investimento no Santuário de Congonhas, considerado pela UNESCO como "Patrimônio Cultural Mundial", foi assinado pela Procuradora da República, Dra. Miriam R. Moreira Lima, o diretor de Sustentabilidade da AngloGold Ashanti, José Margalith, e os advogados da empresa mineradora, o prefeito de Congonhas, José de Freitas Cordeiro (Zelinho), o presidente da FUMCULT, Sérgio Rodrigo Reis, pela advogada da Fundação, Maria Ap. Coelho da Cunha, além do Procurador Municipal de Congonhas, Juliano Resende da Cunha.

Obras em curso no Santuário

Atualmente, os elementos artísticos integrados da Basílica passam por restauro, graças a um trabalho de planejamento, execução e fiscalização da Prefeitura e recursos do PAC Cidades Históricas, do Ministério da Cultura. Outra das dez obras selecionadas pelo Iphan para Congonhas por meio deste programa é a estabilização do Adro da Basílica, cujo projeto começará a ser elaborado em breve, com apoio do Governo Municipal.

Foto&Texto: Por por Secom / PMC - Divulgação 

Automobilismo

Segundo passeio de autos antigos

Cidade de Queluzito realiza grande evento, concentração acontece na região sul de C. Lafaiete.

No próximo domingo (5/3), acontece na vizinha cidade de Queluzito/MG, o segundo passeio de autos antigos, o evento é promovido pelo Clubes de Autos da nossa região. Conforme a organização, o encontro busca uma confraternização entre os participantes com muita troca de ideias entre os colecionadores.

Concentração
A saída oficial acontece no Parque de Exposições Tancredo Neves, em Conselheiro Lafaiete, a partir das 9h. Do local, os participantes seguem para cidade vizinha de Queluzito.

Foto: Cartaz do evento 

Vilas e Fazendas

Entidade elege nova diretoria

Definida a nova diretoria da Associação dos Municípios do Circuito Turístico Villas e Fazendas de Minas (ACVFM). Os associados do setor público e privado, convocados através de editais publicados em 30/01 e 20/02 de 2017, estiveram presentes e votaram na chapa registrada e elegeram a nova diretoria da ACVFM, que ocuparão seus cargos até março de 2019.

A representante do município de Conselheiro Lafaiete, Clarissa Alves, foi eleita por unanimidade como a nova presidente. Durante as gestões anteriores, de 2013 a 2015 e 2015 a 2017, Clarissa, ocupou o cargo de diretora executiva participando ativamente das ações da entidade. Após o resultado, Clarissa se mostrou satisfeita e inteiramente confiante como presidente da associação:

O Circuito Villas e Fazendas vêm realizando um brilhante trabalho de fomento ao turismo na região, o que nos faz ser reconhecido pelo Ministério do Turismo e Secretaria de Estado do Turismo, como integrante da Política Regional do Turismo e do Mapa do Turismo Brasileiro. Agora é focar em novas ações de planejamento turístico como a sinalização turística nos nossos municípios, um calendário de eventos unificado e o fortalecimento da gastronomia através de festivais. Vamos continuar com nossas parcerias em ações e eventos e claro, concretizar outras. A junção de muitas ideias dão grandes resultados”, destacou a presidente eleita.


Foram eleitos também diretor vice-presidente, José Geraldo Dutra (Santana dos Montes); diretor Executo, Cláudio Lana (Carumbé Hotel); diretora financeira, Tatiana Rezende (Itaverava); diretora de marketing, Penha Alves (Queluzito); secretária executiva, Rosilene da Silva Araújo (Senhora de Oliveira) e conselheiros fiscais, Wellington da Silveira (Rio Espera) e Simoni Josiane da Silva (Casa Grande). O Circuito Turístico Villas e Fazendas de Minas foi constituído em 30 de Novembro de 2001 e possui sede na Rua Jurupis, nº 100, Bairro Carijós em Conselheiro Lafaiete no prédio da Amalpa.

Os municípios associados são: Caranaíba, Casa Grande, Conselheiro Lafaiete, Cristiano Otoni, Itaverava, Queluzito, Rio Espera, Santana dos Montes e Senhora de Oliveira e da iniciativa privada, o Carumbé Hotel de Conselheiro Lafaiete também se integra ao Circuito.

Foto & Texto: Vilas e Fazendas - ACVFM

Carnafolia 2017

Na cidade de Congonhas

Festividades encantou o público com atrações diversas e interação

O Carnafolia 2017 foi um sucesso! Durante cinco dias, cerca de 30 mil foliões passaram por Congonhas. A festa aconteceu de forma tranquila, sem qualquer ocorrência relevante, segundo dados da Polícia Militar. Cerca de 40 atrações, entre blocos carnavalescos e shows, movimentaram o Palco Marechal e o Quarteirão do Samba. Participaram artistas locais e bandas de destaque do Carnaval mineiro, como a Bartucada. A história da festa congonhense também não ficou de fora: este ano, foi lançado o CD “Nossas Marchinhas, Nossa História”, reunindo 10 canções tradicionais dos blocos que desfilaram no passado da Cidade dos Profetas.

A interatividade digital foi a grande novidade do Carnafolia 2017. Além de acompanhar, de qualquer parte do Brasil, a cobertura do evento em tempo real pela página oficial da Prefeitura de Congonhas no Facebook, com links de transmissão ao vivo dos shows e blocos de destaque, o público aderiu às hashtags #CongonhasFolia e #Carnafolia2017, utilizadas também no Instagram. Ao publicar fotos e interagir com os meios digitais do Governo Municipal, os foliões apareceram no telão do Palco Marechal. A campanha do Carnafolia 2017 no Facebook alcançou mais de 71 mil pessoas.

O Carnaval de Congonhas, que é organizado pela Prefeitura Municipal, por meio de diversas secretarias como a de Cultura, Comunicação, Obras e Fumcult, também mobilizou positivamente a economia da cidade em tempos de crise. Além de atrair mais turistas, a melhor festa da região gerou renda para o comércio e para os moradores. É o caso da costureira Margarete Gomes, que costurou e customizou abadás dos blocos que passaram pela avenida Marechal. Ela garante que o Carnaval da cidade foi muito bom. “As pessoas estavam animadas e se divertindo. A festa ocorreu com muita segurança. Isso dá uma tranquilidade para participarmos e trazermos a família”, destaca. Comerciantes, hoteleiros, ambulantes, artistas e inúmeros técnicos também comemoraram os efeitos positivos de geração de renda da folia, uma das maiores realizadas este ano no interior mineiro.

Foto& Texto: Assessoria de Comunicação Secom